Cinomose – O que é? Tem Cura? Causas, Sintomas, Tratamentos

Filhotes de cães estão sujeitos a diferentes tipos de doenças. Suas imunidades ainda estão sendo formadas e os períodos de vacina avançam de acordo com o tempo e, ainda, tipo de doença a prevenir. Uma delas é a Cinomose.

Essa é uma doença com origem viral e que tem cura, mas que pode se tornar fatal aos animais infectados por ela. Ou ainda, deixar sequelas no cachorro acometido pela cinomose.

Ela é muito comum no primeiro ano de vida de cachorros. Pode atingir diferentes órgãos, considerada sistêmica e altamente contagiosa. A doença ainda pode infectar cachorros idosos.

O que é Cinomose?

É uma doença exclusiva dos cães e de fácil contágio entre eles. Por isso o recomendado é isolar o animal doente de outros sadios durante o tratamento.


Como não é considerada uma zoonose, ela não pode ser transmitida para humanos. Porém os seres humanos podem ajudar a espalhar o vírus, por exemplo, pela saliva do animal em suas roupas. Ou seja, o animal lambe a roupa do seu dono e ele propaga em ambientes ou para outros animais que tiver contato.

Causas

A cinomose é causada por um vírus  da família Paramyxovirus, do gênero Morbilivírus. Ele é capaz de sobreviver por muito tempo em ambiente seco e frio.

Este mesmo vírus tem a capacidade também de sobreviver em ambiente úmido e quente. Tornando assim um organismo resistente, mas sensível a luz solar e desinfetantes.

Quando ocorre a infecção no animal, há um período de incubação do vírus que varia entre 3 e 6 dias ou até 15 dias. O tempo que o vírus começa a agir no organismo do cão varia de organismo para organismo.

A transmissão da cinomose ocorre por diversas formas. Desde o contato com as secreções, urina e fezes infectadas pelo animal doente até mesmo pelo contato com objetos que o cachorro teve contato. Sua casinha, seu cobertor e até os seus alimentos são fonte de infecção.

Cinomose

Sintomas da Cinomose

Um dos primeiros sintomas a ser observado no animal afetado é a febre alta que pode chegar até os 41°C. Ela vem acompanhada de apatia, perda de apetite, diarreia, vômito, secreções oculares com grande quantidade de remela, dificuldade em respirar e secreção nasal caracterizada com pus. Esses sintomas podem durar até dois dias.

Uma característica da cinomose é que o animal pode apresentar significativa melhora mesmo apresentando todos esses sintomas. É como se estivesse curado de forma repentina. A falsa impressão de que o animal está bem pode trazer outras consequências e afetar ainda mais o estado de saúde do cachorro.

Depois desta significativa melhora, sintomas específicos da cinomose são observados como, por exemplo, a falta de coordenação motora do animal. Em casos mais graves ainda são vistas convulsões, paralisias, tiques nervosos e pneumonia.

Com os sintomas neurológicos apresentados, o animal pode se tornar agressivo. Dificuldade em reconhecer seu dono é comum devida a inflamação que ocorre no cérebro do cachorro. Além de tudo isso, paralisia dos músculos da face e na médula ocasionam dificuldades de locomoção,tornando isso cada vez mais frequente.

Estes sintomas tendem a piorar com o passar dos dias, de forma rápida ou lenta, a depender de cada cachorro. A triste notícia é que elas não costumam regredir depois que o vírus da cinomose está no organismo do animal. Mesmo com tratamento o cachorro que foi infectado e sobreviver poderá ter diferentes tipos de sequelas.

Cinomose tem cura?

Com uma doença tão grave e fatal a pergunta mais frequente para os donos de cachorros infectados é saber se ela tem cura. A resposta é positiva. O sucesso na cura do animal contaminado pela cinomose vai depender do histórico de saúde do cachorro. Uma alimentação equilibrada e de qualidade é um item que pode ser avaliado e saber se o animal terá melhores condições em sua recuperação.

Tratamentos

O tratamento da cinomose se resume em um tratamento dos sintomas apresentados pelo animal doente. Não existem medicamentos antivirais eficazes para combater a doença. De acordo com os sintomas apresentados no cachorro, os medicamentos específicos são introduzidos.

Exemplos de medicações são os antibióticos e anti-piréticos inseridos no tratamento das infecções que surgem no sistema digestório e respiratório. Também são utilizados expectorantes, bronco dilatadores e antieméticos para aliviar as dificuldades na respiração.

O soro é um item fundamental para corrigir a desidratação causada pela diarreia e pelos vômitos. Oura medicação muito utilizada é o anticonvulsivante para as crises convulsivas estabelecidas pelo comprometimento do sistema nervoso do animal afetado.

Para o tratamento da cinomose também estão inseridos os suplementos nutricionais e diferentes terapias alternativas. Tais como a acupuntura para melhorar a resposta imunológica do animal doente.

Tratamento caseiro para Cinomose

Muitas pessoas já Quiabo para cachorroimaginam que com o uso de diferentes medicações o custo pode se tornar muito dispendioso financeiramente. A pergunta é: existe algum tipo de tratamento caseiro para animais com cinomose? Na Internet o internauta encontra diversos vídeos e noticias falando sobre tratamento caseiro com o uso, por exemplo, de quiabo.

Porém, doença grave e que pode trazer sequelas no animal deve sempre ter orientação de um especialista. O veterinário poderá indicar qual o melhor tratamento e/ou alternativa para aliviar os sintomas do cachorro doente.

Procure sempre orientação médica especializada tanto para o uso de medicação, terapia alternativa ou qualquer tipo de exame que o animal possa usar. Diagnóstico errado pode complicar ainda mais a situação do cachorro infectado por cinomose e, ainda, comprometer a recuperação ou sobrevivência do animal doente.

Prevenção

A melhor forma para prevenir a cinomose é a vacinação. Ela é feita anualmente nos cachorros. No caso de filhotes de cães, os animais devem receber três doses a partir de 45 dias de vida.

Sendo assim, as vacinas devem seguir um intervalo de até 30 dias entre cada dose administrada. Após a terceira e última dose, o sistema imunológico do cachorro começa a apresentar características para o combate ao vírus da cinomose. Isso se o animal tiver algum tipo de contato com a doença ou até ambiente contaminado. Por isso o recomendado também é evitar que os filhotes saiam para passeios nas ruas, principalmente quando ainda estão recebendo as doses de vacinas recomendadas.